quarta-feira, 26 de março de 2014

regresso a casa


Vai correndo por entre a relva alta, vai fugindo às ruas, ao asfalto, ao movimento que lá atrás ficou. Cai e ri-se alto, uma ou outra flor selvagem cola-lhe ao olhar uma cor que o ilumina, o dia está quase a fechar-se e ele sente-se bem assim, ao entardecer, longe da cidade, com o cheiro a jasmim a rodeá-lo até se perder por entre as árvores, as flores e a erva alta, sem conhecer o caminho de volta, porque agora sim, tinha regressado a casa.

1 comentário:

pessoana disse...

Bom regresso!